Em ação que questiona atuação de procuradores da Lava-Jato, Edson Fachin nega soltar Lula

30.08.2019

 

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, negou o pedido dos advogados de Lula para que tivessem acesso ao material apreendido por hakers na Operação Spoofing. Fachin também negou conceder liminar (decisão provisória) para soltar o ex-presidente. 

O ministro considerou que, ao analisar se Lula deveria ser solto por conta da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, a Segunda Turma já negou conceder decisão para libertar Lula. 

"Sendo assim, prima facie, sem prejuízo de ulterior reapreciação da matéria no julgamento final do presente habeas corpus, indefiro a liminar", afirmou Fachin.

Fachin negou o pedido da defesa de acesso as mensagens supostamente trocadas pelos procuradores da Lava-Jato, divulgadas no site "The Intercept Brasil". 

"A jurisprudência desta Suprema Corte é firme no sentido de que o habeas corpus não comporta produção probatória, incumbindo ao impetrante a instrução de petição inicial já com os documentos que, na visão da defesa, evidenciaram a liquidez da pretensão veiculada. Por tais razões, deixo de acolher o pedido de produção de provas", afirmou Fachin.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados