A greve é dos caminhoneiros mas quem paga é o povo

24.05.2018

 

Uma greve iniciada pelos constantes aumentos dos combustíveis. Motoristas autônomos contestaram o sistema e o aumento do diesel, justificando que estavam trabalhando sem lucratividade cada dia mais espremidos financeiramente. 

A greve já atinge 25 estados da federação, e hoje, já atinge outros setores da economia brasileira.  O governo acumula grandes prejuízos com essa greve, pois o Brasil, já não tem mais o sistema ferroviário como antigamente, sendo o rodoviário, o único a funcionar.  

A irresponsabilidade do governo de colocar os aumentos de gasolina na mesma proporção que a do óleo diesel, revoltou os caminhoneiros, que agora, querem um valor justo para o seu meio de transporte. Demorou, mas aconteceu. Esta greve já tinha sido ameaçada num passado muito próximo, mas a classe aceitou os abusos do governo que veio realizando aumentos constantes. Este mês, já tivemos 5 aumentos dos combustíveis. 

Os caminhoneiros reivindicam preço estável por seis meses com valores 23% menos que os valores atuais. 

Os postos de combustíveis já não possuem gasolina e nem diesel na maioria do país, e juntamente com eles, hortifrutigranjeiros vem acompanhando e outros produtos estão sumindo das prateleiras dos supermercados. As pessoas estão fazendo estoque dos produtos de primeira necessidade, há uma correria nos supermercados. Em alguns, já faltam leite, carne, legumes e frutas. O povo está entendendo à greve e apoiando ao mesmo tempo, mesmo passando por certas dificuldades. 

Os políticos tem que entender que, quem manda neste país é o povo e não eles. As altas taxas tributárias da união e dos estados (ICMS), são os grandes responsáveis pelo alto preço do combustível no Brasil, e não pouparam nem os transportes pesados, sendo eles, os responsáveis por boa parte da economia do Brasil. 

Nesta noite, votaram no Congresso a retirada do PIS e CONFINS sobre o diesel, mas para os representantes da classe de transportes, não foi suficiente. 

Para piorar a situação, vários postos de gasolina aumentaram seus preços devido a demanda, em alguns postos, os proprietários chegaram a dobrar o preço da gasolina e do diesel. 

A suspensão de vários procedimentos em vários segmentos está acontecendo em todo o Brasil. Hospitais, aeroportos, ônibus de linhas municipais reduzindo seus veículos. Produtos perecíveis em fazendas e laticínios estão sendo jogados fora por não terem como desaguar os produtos. Frigoríficos e laticínios resolveram parar até que a greve se encerre, pois não tem como estocar seus produtos. 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2018 © Todos os direitos reservados