Palocci pede desfiliação do PT

27.09.2017

 

"Afinal, somos um partido político sob a liderança de pessoas de carne e osso ou somos uma seita guiada por uma pretensa divindade?".

 

Antonio Palocci, após várias eleições eleito e coordenador do Partido dos Trabalhadores, pede sua desfiliação. Um de seus fundadores, Palocci, deixa o partidos dos Trabalhadores. Admite seus erros e cita Lula como uma pretensa divindade. É o divórcio de uma das mais pensantes cabeças políticas que o Partido dos Trabalhadores já teve. Talvez, seja um dos elementos responsáveis pelo sucesso da primeira administração petista no Brasil. Médico, vereador, prefeito de Ribeirão Preto, Deputado Federal e Ministro da Fazenda, Palocci é com certeza, um elemento indispensável para revelar os segredos da Lava-Jato, e até mesmo do mensalão que ainda não foi revelado. Há um interesse muito grande da Polícia Federal no nome de Palocci, pois, a PF, tem conhecimento da importância das revelações que poderão vir à tona, nestes próximos meses. Até o presente momento, o que se tem certeza, é que Palocci, tira por completo o nome de Lula das eleições de 2018. Mas, suas revelações, por vir, deverão comprometer muito mais ainda o ex-presidente podendo levá-lo para a cadeia o mais rápido possível. Palocci reconheceu o sucesso e o desvaneio da eternidade, que levou-os a corrupção pelo poder. "Na verdade, o caminho até a crise de 2008 foi, do ponto de vista do projeto de desenvolvimento, de grande sucesso. Mas, como o ovo da serpente, já se via, naqueles melhores anos, a peçonha da corrupção se criando para depois tomar conta do cenário todo". "Pude acompanhar de perto a evolução de nosso poder e nossa deterioração moral". Palocci, se coloca aí, como um ser sem forças para segurar às intenções do presidente da república, na época. Ou seja, não podendo conter a ganância de seus companheiros pelo poder, tendo a corrupção adjunto às resoluções do comandante e da comandante. 

Aí, cabe uma indagação. Se Palocci já tinha visto a serpente rondando no primeiro mandato de Lula (como ele cita em sua carta); Por quê, voltou ao cenário petista na era Dilma Rousseff? Não teria ele admitido ser parte integrante da corrupção impetrada pelo Partido dos Trabalhadores, como ele diz?

Palocci, cita em sua carta o seu silêncio. "Enquanto estive calado, não se cogitava a minha expulsão. Ao contrário, era enaltecido por um palavrório vazio". 

É um curso natural da mentira. A vida é assim. Quem menti mais, cai mais. Na política também é assim. Principalmente, agora, que o Judiciário,  a Polícia Federal, Ministério Publico e o Povo resolveram agir.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados