Já são 87 mortos nos Estado do Espírito Santo e sem previsão para normalizar

08.02.2017

 

Já são 87 mortos e um prejuízo sem limite. E assim,  vão se passando os dias no Estado do Espírito Santo. 

A revolta do povo agora, se virou para os familiares dos militares do estado. Elas defendem a greve dos maridos , mas não pensam na segurança coletiva. Reclamam que seus maridos, já vão para quatro anos sem reajuste com salários que começam no valor de R$ 2.646,12  bruto. 

A corporação do estado tem 9.382 militares. 

Mesmo com salários  realmente baixos, os militares estão infringindo a lei, e sentar a mesa para um acordo, seria o mais plausível. A população não pode ficar à deriva de segurança. Os comerciantes, já estão com seus estabelecimentos fechados há dias, acumulando um prejuízo grande, escolas estão fechadas e também os bancos. 

O número de mortos aumenta a cada dia que passa. Não sabemos ao certo a quantidade de bandidos e a quantidade de pessoas inocentes e militares do exército mortos nestes tiroteios. A população não pode sair de suas residências, pois corre o risco de não voltar para casa. O Governo Federal deveria intensificar a patrulha com o exército nas cidades onde a anarquia, roubos, vandalismo e mortes são maiores.  

O que se vê também, são pessoas que nada tem haver com os militares em greve, saqueando lojas e aproveitando da situação. 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados