Buscar

Prefeitura confirma reabertura do turismo em Monte Verde


Setor de hotelaria retoma as atividades a partir de segunda-feira, 25, com 60% da capacidade; alterações incluem toque de recolher e multa para quem descumprir medidas


A partir desta segunda-feira (25), os mais de 150 estabelecimentos de hospedagens do distrito de Monte Verde (MG) poderão voltar a funcionar com 60% da capacidade. A mudança ocorre uma semana depois de a Prefeitura de Camanducaia ter decretado lockdown, no dia 16 de janeiro, permitindo o funcionamento apenas dos serviços essenciais.

Na data, a medida foi uma orientação regional como forma de conter os casos de Covid-19 no Sul de Minas, que havia batido recorde de casos semanais pela segunda vez seguida, fechando as duas primeiras semanas de 2021 com o maior nível de contaminações desde o início da pandemia. As restrições atingiram não apenas Camanducaia, mas também Estiva, Pouso Alegre, Córrego do Bom Jesus, Senador Amaral, Cambuí e Itapeva.

A atualização do decreto nº 13 de 2021 determina toque de recolher das 23h às 6h, ficando restrita a circulação de pessoas em vias públicas. Durante o toque de recolher, será permitido o funcionamento das atividades consideradas essenciais, sendo que também podem funcionar os serviços de entrega de estabelecimentos do segmento de alimentação. Com isso, os restaurantes, que antes podiam funcionar até a 0h, poderão funcionar apenas até as 23h.

O decreto determina, ainda, que todos os estabelecimentos e serviços destinados à atividade de turismo devem, obrigatoriamente, estar cadastrados no Sistema Nacional de Cadastro dos Prestadores de Serviços Turísticos (CADASTUR) e possuir o Selo Turismo Responsável do Ministério do Turismo, bem como manter as informações devidamente atualizadas.

Está mantida a liberação dos turistas de um dia, com restrições para grupos e excursões. Por fim, a Prefeitura determinou que o descumprimento das medidas de isolamento ou quarentena pela população poderá acarretar em multa de R﹩ mil reais.

A alteração foi realizada após uma negociação feita pela MOVE - agência de desenvolvimento de Monte Verde e região -, que enviou um ofício ao prefeito no dia 17 de janeiro, um dia após o decreto de lockdown. Na terça-feira (19) de manhã, a MOVE apresentou um plano de retomada, que foi aceito em praticamente sua totalidade.

Desde o início da pandemia, o distrito tem sido apontado como referência nacional na retomada do turismo consciente, adotando medidas que garantem a segurança dos turistas e dos profissionais envolvidos nos atendimentos.

Sobre a MOVE

Entidade associativa, apartidária e sem fins lucrativos, a MOVE (Agência de Desenvolvimento de Monte Verde e Região) foi criada neste ano para promover o desenvolvimento econômico sustentável do distrito de Monte Verde, polo turístico que pertence ao município de Camanducaia (MG). A agência atua com o objetivo de fortalecer e dar voz ao empresariado, a fim de potencializar a vocação turística local sob os seguintes escopos: hotelaria, comércio, receptivos, alimentação, ambiental, social, industrial, esportivo e artístico. Atualmente, com mais de 100 associados, a MOVE trabalha em quatro frentes: apoia e oferece auxílio estratégico a empresas, poder público e comunidade para o enfrentamento de desafios comuns; identifica, fomenta e divulga oportunidades de investimentos; promove novos negócios e parcerias; e apoia, produz e viabiliza eventos turísticos na região. A MOVE incorporou a antiga AHPMV (Associação dos Hotéis e Pousadas de Monte Verde).


35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados