Buscar

Jair Bolsonaro é citado no caso Marielle, mas registros do Congresso Nacional não comprovam boatos


O Brasil está sendo vítima de uma política suja que tem procurado incriminar os homens que estão procurando colocar o país de volta aos trilhos do crescimento e, principalmente, fora do sistema vicioso chamado corrupção e lavagem de dinheiro. Digamos que o nosso presidente tem lá seus defeitos quando abre a boca. Mas de corrupto e ladrão, o povo brasileiro pode dormir tranquilo. Não há nada, até então, que incrimine o presidente da república. E assim, o inconformismo dos derrotados, da política do mal, dos corruptos, dos condenados e das pocilgas é a balela.

Mais uma vez, estamos diante de fato em que profissionais e políticos tentam a qualquer custo envolver o presidente Jair Messias Bolsonaro, e colocá-lo na penúria popular da política. Na verdade, blasfêmia como essas vão fortalecendo o popularismo do presidente e ainda por cima, mostrando ao povo que o nosso presidente é acima de tudo, honesto.

Envolver o nome do presidente no caso Meirelle é mais uma absurdez de uma oposição política suja e antipática por qual o Brasil viveu por muitas décadas. Nota-se aí, a infantilidade de querer produzir provas corocas, mesmo sabendo que a verdade virá à tona em poucas horas.

Outro fator inaceitável é o jornalismo nem nexo e tendencioso por qual o Brasil vem passando. Sem coerência, vão perdendo o crédito e a popularidade de um jornalismo sério, verídico, quão se aprende dentro da Universidade.

Ser honesto é comprovar imediatamente nas redes sociais, na TV e nos veículos de comunicação em geral a sua inocência. Assim, o presidente o fez, mostrando ao povo brasileiro que a honestidade tem que sobressair às injúrias.


35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados