Buscar

Delação de Palocci deve prejudicar a campanha de Fernando Haddad


O poderoso chefão do PT fez revelações que poderão fragilizar a campanha de Fernando Haddad à presidência da república. Antonio Palocci revela que Lula sabia de todo o esquema de propina dentro da Petrobras desde 2007. Revelou também que Lula sabia da manipulações dos cargos dentro da estatal. Uma das finalidades dos desvios de verba da Petrobras era angariar recursos para as campanhas do PT. Palocci explica detalhadamente como foi montado o esquema para loteamento de cargos estratégicos para que fosse revertido em propinas para favorecer o Partido dos Trabalhadores.

Palocci revela que os assuntos à respeito de cargos na estatal eram tratados no primeiro andar do Palácio do Planalto, pessoalmente com o ex-presidente.

"Em fevereiro de 2007, logo após sua reeleição, Luiz Inácio Lula da Silva convocou o colaborador, à época deputado federal, ao Palácio da Alvorada, em ambiente reservado no primeiro andar, para, bastante irritado, dizer que havia tido ciência de que os diretores da Petrobras Renato Duque e Paulo Roberto Costa estavam envolvidos em diversos crimes no âmbito das suas diretorias", relatou Palocci.

Questionado por Lula, a resposta foi afirmativa.

"Que (Lula) então indagou ao colaborador quem era a pessoa responsável pela nomeação dos diretores; Que o colaborador afirmou que era o próprio Luiz Inácio Lula da Silva o responsável pelas nomeações; Que também relembrou a Luiz Inácio Lula da Silva que ambos os diretores estavam agindo de acordo com parâmetros que já tinham sido definidos pelo próprio Partido dos Trabalhadores e pelo Partido Progressista."

Palocci afirma o trabalho conjunto entre PT e PP. A derrubada de cargos dos antigos diretores indicados por FHC eram prioritárias, pois, a permanência destes cargos por essas pessoas, só atrapalhariam o esquema de corrupção.

"Lula decidiu resolver ambos os problemas indicando Paulo Roberto Costa para a Diretoria de Abastecimento", diz, em colaboração. Segundo Palocci, a indicação "também visava garantir espaço para ilicitudes, como atos de corrupção, atendia tanto a interesses empresariais quanto partidários". Ele afirma que "assim, nas Diretorias de Serviço e Abastecimento houve grandes operações de investimentos e, simultaneamente, operações ilícitas de abastecimento financeiro dos partidos políticos".

O ex-ministro ainda diz que "explicitou a Lula que ele sabia muito bem porque houve a indicação pelo PP de um diretor, uma vez que o PP não fez aquilo para desenvolver sua política junto à Petrobras, até porque nunca as teve", e que a "única política do PP era a de arrecadar dinheiro".


35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados