Buscar

Empate na estreia é frustrante, mas não desesperador


O Brasil enfrentou a Suíça na estreia da Copa do Mundo 2018 na Arena Rostov com pouco mais de 43.000 presentes. A torcida brasileira estava muito confiante, pois o que a seleção mostrou nas eliminatórias e nos amistosos realizados na preparação do time para o evento, foi uma seleção diferenciada e com resultados muito positivos.

A euforia aconteceu em todo o país, a ansiedade do povo, tratando-se do país do futebol. Mas o que se viu em campo frustou um pouco o torcedor brasileiro.

No começo do primeiro tempo o time brasileiro com uma marcação adianta não deixava a Suíça sair do seu campo. Várias foram as chances para abrir o placar. A mais clara delas foi com Paulinho que errou o chute de frente com o goleiro suíço, a bola saiu, passando bem perto da trave esquerda.

Logo em seguida, aos 19 minutos do primeiro tempo, Felipe Coutinho acertou um chute da intermediária fazendo o primeiro gol brasileiro. Coutinho colocou um efeito na bola, fazendo uma curva, deixando batido o goleiro suíço.

O time brasileiro já não estava satisfeito com a arbitragem. Neymar apanhou demais, sofrendo mais da metade das faltas do Brasil.

No segundo tempo, logo no começo, Stephen Zuber empatou de cabeça aos 4 minutos após ter empurrado Miranda dentro da área brasileira. A arbitragem que já não estava bem no jogo, também não marcou um pênalti claro em Gabriel Jesus, se complicando mais ainda e também a situação do time brasileiro na tabela. O árbitro mexicano César Ramos é conhecido no México como "o encrenquinha". Gosta de aparecer no jogo, ser protagonista. César nem quis consultar o Árbitro de Vídeo nos dois lances que prejudicaram o time brasileiro. Desta forma, o árbitro de vídeo, ainda irá dar muito o que falar durante a Copa do Mundo. Ou seja, começou mal.

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados