Buscar

Lula libera o PT para escolha de candidato. Dilma Rousseff e Gleisi Hoffmann são barradas na Políci


Nesta segunda-feira (23), o ex-presidente da república Luis Inácio Lula da Silva, que se encontra preso em Curitiba, desde o dia 7 de abril, liberou o seu partido para a escolha de um outro candidato e candidatos ao pleito das eleições 2018. Lula tem consciência que preso, será muito difícil qualquer investida nos planos anteriores à sua prisão.

Em contrapartida, o Partido dos Trabalhadores não abre mão da candidatura de Lula para às eleições deste ano. O partido vai oficializar a candidatura de seu pupilo maior. Está marcado para o dia 28 de julho o encontro nacional do PT que oficializará o nome do ex-presidente como candidato. Não existe Plano B no PT. O ex-presidente, caiu 9% nas pesquisas desde que foi preso. Mesmo com toda essa atitude e retribuição que o partido faz ao seu representante maior, deve morrer no TSE. Lula não deve ter o nome aprovado para disputar às eleições, pois está incluído no Ficha Limpa e se tudo correr de acordo com a lei, Lula estará definitivamente fora das eleições 2018. É um risco muito grande o partido atuar dessa forma, pois não terá tempo para ajustar um outro candidato para substituí-lo a tempo.

Ontem, a ex-presidente Dilma Rousseff e a Senadora Gleisi Hoffamnn foram barradas na Polícia Federal em Curitiba, quando foram fazer uma visita ao ex-presidente. A juíza Carolina Moura Lebbos proibiu as visitas sem obedecer às datas previstas no calendário. Dilma revoltada se pronunciou dizendo: “O presidente Lula não está em regime de isolamento. O que explica não podermos visitá-lo?”. Quanto às atitudes da juíza, Dilma criticou: " Restrição de visitas a Lula é mais rígida do que aos presos da ditadura".