Buscar

Como será a corrida à presidência sem Lula nas eleições?


Sem Lula nas eleições, o Brasil terá um monte de aventureiros que se sentirão capazes de chegar à presidência da república. Teremos um recorde de presidenciáveis por todo o canto do Brasil. Aí, que poderia entrar a redução partidária. Para que não houvesse tanto presunçoso assim. O político tem um certo prestígio em um pequeno reduto do Brasil, já se acha apto para ser candidato a presidência do Brasil. Sendo que, esse político na sua notoriedade de parlamentar é muito pouco visto e conhecido dos brasileiros. Não tem atos e nem críticas ao sistema de propinas e corrupção que há dentro do Parlamento. Ou seja, ele é apenas mais um. Mas será apenas mais um a confundir a cabeça do eleitor em outubro. Hoje, o que mais existe dentro do Parlamento brasileiro são políticos que apenas marcam sua presença para receber o seu salário no final do mês. São apenas intermediários dos municípios que o elegeram para repasses de verbas direcionadas à benfeitorias dentro da sua região. Mas, não dão palpite e nem sabem elaborar um Medida Provisória que venha melhorar as condições de vida do povo brasileiro. Eles são direcionados por outros com maior representatividade dentro do parlamento.

Às eleições na sua reta final, serão comandadas por siglas partidárias de maior relevância, já que não existe um nome diferenciado que sobre saia aos demais. Não temos um herói, ou um nome que se diferencie. Todos são políticos de carreira e não defensores da população. Por isso, o brasileiro está acreditando menos na política. Apesar de tudo que está acontecendo neste país, que muito em breve, mudará por completo. Se compararmos o Brasil de hoje com o Brasil de vinte anos atrás, iremos ver uma grande diferença na justiça e principalmente, na política. Antigamente, não se via justiça enfrentando políticos. Hoje, temos uma Procuradoria Geral da União e da República preocupada em acabar com às regalias de políticos e empresários corruptos desses país. Em contra partida, a justiça tem colocado na cadeia políticos e administradores de empresas que se dedicaram a uma vida ilícita. Temos um ex-presidente da república preso, deputados e senadores presos. A passos lentos estamos assistindo o Brasil mudar. E não há Plano B nem nos partidos políticos, como também para o povo brasileiro. Se o barco afundar, afundamos todos nós.

Por isso, será uma eleição que trará novos elementos e muitos deles, sem vícios e sem falcatruas. Teremos muitas mudanças no Congresso, mesmo com a distribuição de verbas de campanha para os que hoje estão lá. Muitos se colocarão como candidatos hoje, de olho em um cargo amanhã.

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados