Buscar

Ex gerente regional da Transpetro - José Antônio de Jesus - diz ter recebido propina para repassar a


Ex-gerente regional da Transpetro para o Norte e Nordeste José Antonio de Jesus, em depoimento nesta segunda-feira, ao juiz federal Sérgio Moro, disse que passou a cobrar propina para se manter no cargo. Que foi indicado por Luiz Carlos Bassuma filiado ao PT até o ano de 2009, quando se transferiu para o PV. "Quando ele trocou de partido e foi para o PV, fiquei sem suporte político para me manter no cargo. Foi então que comecei a arrecadar para agentes políticos que passaram a me dar sustentação".

"Passamos por um período turbulento na Transpetro, eu estive para sair da gerência algumas vezes, porque muita gente queria tirar o meu cargo. Então, foi sugerido que fizéssemos um acordo para receber valores para agentes políticos, o que nos poderia garantir estabilidade", afirmou José Antonio. Fez um acordo com NM Engenharia, mantenedora de 40 contratos de manutenção na região, com repasse de 1,25% do valor dos contratos em propina. "A única contrapartida que eles tinham era a garantia de que seus contratos seriam cumpridos no tempo e nos valores corretos", acrescenta Jesus.

Orientado por seus advogados, José Antonio não revelou os nomes dos políticos por desfrutarem de foro privilegiado.

Luis Fernando Nave Maramaldo, sócio-diretor da NM Engenharia, confirmou o pagamento de propina. "Ele nos procurou e nos ameaçou. Disse que se não pagássemos, nossos contratos não andariam, seria colocado obstáculos". "Questionamos por já pagarmos propina a Sérgio Machado. Ele disse que com o Machado era coisa do PMDB, com ele, do PT". Luis Fernando, disse que pagava propina a Sérgio Machado desde 2008. "Em uma concorrência grande, fomos procurados por ele, dizendo que mudaria nosso patamar". Os percentuais eram de 5,5% em propina e ainda aceitar a Polidutos como sócio. Após isso, a propina se tornou uma constante em todas as obras.

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados