Buscar

Polícia Federal chega a Jaques Wagner , ex-ministro de Dilma por suposta propina de 82 milhões do co


O ex-governador da Bahia, Deputado Federal por três mandatos consecutivos e ex-ministro da Defesa e da Casa Civil e também chefe de gabinete da ex-presidente Dilma Rousseff, Jaques Wagner, está sendo investigado pela Polícia Federal por suspeitas de ter recebido R$ 82 milhões em propina do consórcio responsável pela construção do estádio da Fonte Nova. A Operação é denominada "Cartão Vermelho". Foi feito nesta segunda-feira (26), mandatos de busca e apreensão na casa de Wagner. Segundo a Polícia Federal há suspeitas de superfaturamento na construção do estádio que podem chegar na ordem de R$ 450 milhões.

Atualmente, Wagner ocupa a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia, também alvo de mandatos. A PF apreendeu na casa de Wagner 15 relógios de luxo, mídias, e documentos.

O PT diz que o mandato de busca e apreensão na casa do ex-ministro é mais uma perseguição ao partido e suas lideranças.

A polícia quer desvendar como os 82 milhões teriam chegado às mãos de Wagner. Que segundo a TV Bahia os valores foram pagos entre 2006 e 2014. Desses 82 milhões, 3,5 milhões foram declarados como doação de campanha eleitoral do PT em 2014, e 3,5 milhões doados para a campanha de Rui Costa, candidato a governador da Bahia, afirma em entrevista coletiva, a delegada Luciana Matutino.

Também foram realizados mandatos de busca e apreensão na casa de Bruno Dauster, chefe da Casa Civil da Bahia e na casa do empresário Carlos Daltro. A polícia está investigando se há participação dos dois na entrega de propinas ou no papel de intermediário, entre eles e o ex-ministro. Dauster pede uma investigação o mais rápido possível, pois, diz que não era secretário na época e que não tem participação nos fatos investigados.

No governo Lula, Jaques Wagner foi Ministro do Trabalho e das Relações Institucionais.

A PF resolveu pedir a prisão temporária dos três suspeitos, negado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados