Buscar

Cármen Lúcia abre o ano do judiciário dizendo não admitir e não aceitar agressões ao judiciário


A presidente do Supremo Tribunal Federal abriu nessa manhã de 1º de fevereiro os trabalhos do judiciário no STF. No seu discurso de abertura Cármen Lúcia diz não admitir que o trabalho da justiça seja agredido.

Foi clara a resposta ao Partido dos Trabalhadores que logo após a condenação de Lula em 2ª estância, chamou de "farsa judicial", e integrantes do partido vem pregando desrespeito a decisões judiciais.


“Pode-se ser favorável ou desfavorável a decisão judicial pela qual se aplica o direito. Pode-se buscar reformar a decisão judicial, pelos meios legais e pelos juízos competentes. O que é inadmissível e inaceitável é desacatar a Justiça, agravá-la ou agredi-la. Justiça individual fora do direito não é justiça, senão vingança ou ato de força pessoal.”