Buscar

Hegemonia de Socialistas e Republicanos é quebrada na França, após 36 anos de alternância


Após um primeiro turno com uma disputa acirrada, a França encerra um período de hegemonia de Socialistas e Republicanos que durou 36 anos. Os resultados apresentados no 1º turno das eleições francesas, apresentam um revés total de insatisfação do povo francês e com a atual situação política. O ex-ministro da economia Emmanuel Macron, do movimento En-Marche! (Social-Democrata), foi o grande vencedor com 23,8% dos votos, seguido por Marine Le Pen, da Frente Nacional (Extrema Direita), com 21,4%. François Fillon do partido dos Republicanos, ficou em terceiro, com 19,9%, e em quarto lugar ficou Jean-Luc Mélenchon do Movimento França Insubmissa. É uma reviravolta na França e além de tudo, poderemos ter um novo Trump por aí. Marine Le Pen, vem pregando em seus discursos uma França independente e a saída da globalização. Ou seja, os imigrantes que se cuidem. Marine parece copiar bem os discursos de Donald Trump nos Estados Unidos, mas às leis o fizeram baixar a bola. Assim, também deve acontecer com ela, caso seja eleita.

As pesquisas de segundo-turno, apontam o ex-primeiro Ministro como favorito. Emmanuel Macron, que aparece em duas pesquisas na frente. Uma aponta 62% contra 38% e a outra, 64% contra 36% de Marine. É um quadro muito difícil de ser revertido. Mas política, é que nem futebol, nunca se pode arriscar. Se eleito, Macron vai ser o presidente mais novo daquele país e Marine a primeira mulher na presidência da França, caso consiga reverter o quadro. Vamos aguardar o segundo turno que será no dia 7 de maio.


35 3221-0556      Varginha - MG
O Debate - 2020 © Todos os direitos reservados